fiscalizacao-eletronica-2013
BHTRANS - Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte
  • Fiscalização Eletrônica

    Excesso de velocidade

     

    Detector de Invasão

     

    Detectores de Avanço de Semáforo

     

    Fiscalização de caminhões

     

     

     

     

    1) Para que servem os "radares"?


    Os Radares Fixos exercem ostensivamente o controle de velocidade nos principais corredores viários da cidade durante as 24 horas do dia, de forma a garantir que as velocidades máximas regulamentadas sejam efetivamente respeitadas, contribuindo para o aumento da segurança de pedestres e motoristas, através da redução do risco potencial de acidentes. Portanto, os medidores de velocidade são ferramentas importantes para redução do número e
    gravidade dos acidente.


    Os Radares Estáticos, também, exercem o controle de velocidade, porém de forma complementar aos Radares Fixos, naqueles locais não fiscalizados. Em função de sua grande mobilidade podem fiscalizar vários trechos de via.

     

     

    2) Quais os critérios para implantação dos medidores de velocidade?

     

    Dentre os principais fatores que determinam a instalação dos equipamentos nas vias do Município estão: Histórico de acidentes por trecho e por cruzamento (dados fornecidos pela D.E.A.V), relativos aos acidentes com vítimas (fatais ou não) ocorridos no Município de Belo Horizonte; Fluxo de veículos e de pedestres nos locais estudados (e seus comportamentos); Presença de polos geradores de pedestres; Geometria, características e o tipo de ocupação da via. Sendo que, o principal critério utilizado para a colocação dos aparelhos é a freqüência e a gravidade destes acidentes.

    Encontra-se disponível na Biblioteca da BHTRANS, os Estudos Técnicos da Fiscalização Eletrônica, documento que traz todas as informações e justificativas de implantação dos equipamentos instalados em Belo Horizonte. Este documento pode ser consultado por qualquer pessoa, no horário de 09:00 às 17:30 h, na Avenida Engenheiro Carlos Goulart, nº 900, Bairro Buritis.

     

    3) Como funcionam os “radares”?

     

    Os medidores de velocidade fixos utilizam os chamados laços de detecção, que são
    colocados sob o asfalto e funcionam pelo princípio da indução eletromagnética. Em
    cada faixa de trânsito, é colocado um par de laços detectores. A cada passagem de
    veículo sobre os laços, ocorre uma perturbação no campo eletromagnético destes,
    que ficam distantes cerca de 4 metros um do outro. Considerando o tempo decorrido
    entre a passagem do veículo pelo primeiro e o segundo laço, é calculada a
    velocidade do mesmo. Quando a velocidade estiver acima da máxima permitida, é
    registrada a imagem do veículo infrator. É importante salientar que cada faixa de
    trânsito tem uma câmera fotográfica exclusiva, de modo a facilitar a correta
    identificação do veículo infrator.

     

    Já os medidores de velocidade estáticos funcionam pelo princípio Doppler, que
    permite a medição da velocidade de veículos através da reflexão de ondas emitidas
    pelo próprio equipamento de medição, que podem ser radares, baseados em
    radiofreqüência, ou lasers, que utilizam frequências luminosas. Existe uma relação
    matemática entre a velocidade dos veículos e a frequência das ondas
    eletromagnéticas emitidas e a frequência das ondas refletidas pelo veículo e
    captadas pelo equipamento.

     

    4) As motocicletas também são multadas pelos “radares”?

     

    Sim. Os equipamentos de medição de velocidade são capazes de identificar qualquer
    veículo, independente de seu tamanho.

     

    5) Se eu estiver trafegando ao lado de um outro veículo e este exceder a velocidade
    máxima permitida para a via, meu veículo pode ser multado por engano, no lugar do
    veículo infrator?

     

    Não. Cada faixa de trânsito possui um par de laços detectores e uma câmera
    fotográfica exclusivos, a fim de evitar quaisquer dúvidas quanto à correta
    identificação dos veículos infratores.

     

    6) Se uma ambulância ultrapassar a velocidade máxima permitida, por estar
    prestando socorro, será multada pelo equipamento?

     

     

    Não. De acordo o artigo 29 do Código de Trânsito Brasileiro, os veículos destinados a
    socorro de incêndio e salvamento, os de polícia, os de fiscalização e operação de
    trânsito e as ambulâncias, além de prioridade de trânsito, gozam de livre circulação,
    estacionamento e parada, quando em serviço de urgência e devidamente
    identificados por dispositivos regulamentares de alarme sonoro e iluminação
    vermelha intermitente. Nestes casos, é feita a análise do registro fotográfico da
    infração e, se comprovado o enquadramento em um dos casos acima citados, a multa
    não é emitida.

     


     






Meu Ônibus

Horário    Itinerário
Faça seu cadastro >>
Pontos de Ônibus

Encontre pontos de parada e linhas digitando o endereço

Brasão PBH

PREFEITURA DE BELO HORIZONTE
EMPRESA DE TRANSPORTES E TRÂNSITO DE BELO HORIZONTE S/A - BHTRANS
Av. Engenheiro Carlos Goulart, 900 - Buritis - 30455902 - Tel: 156 / De Outras Localidades: (31)3429-8750